Riviera Maya: Dicas a reter

  • Como chegar à Riviera Maya:

A maior parte dos turistas da Riviera Maya chega à península de avião. Quase todas as companhias aéreas voam todo o ano para Cancún, a cidade que tem o maior aeroporto da região. No meu caso, de Portugal, somente a White Airways e a Orbest fazem o serviço. São companhias charter. De vez em quanto, também a EuroAtlantic Airways voa para a localidade. O aeroporto de Cancún é o segundo mais movimentado do México, depois do da capital, e tem três terminais. A maioria das companhias está instalada no segundo e terceiro. Do aeroporto até aos resorts, que geralmente acolhem a maioria dos turistas que compram um pacote turístico, o transporte é feito de autocarro (ônibus). E não estranhe se vir nas estradas muitas brigadas de militares e polícias. É comum devido ao tráfico de droga na região.

  • Requisitos de entrada na Riviera Maya:

Para os cidadãos da União Europeia, como era o meu caso, é necessário viajar com um passaporte e pagar uma taxa (imposto migratório) cobrada  pelas autoridades do país, aproximadamente 60 euros. Não é necessário apanhar nenhuma vacina em especial. O visto não é necessário se for permanecer no país menos de 90 dias.

  • Quando se deve ir:

Os tradicionais meses de Verão portugueses, entre Julho e Outubro, são totalmente desaconselháveis, porque coincidem com a época dos furacões, tão característicos da região do Caribe. Coincidentemente, é nesse período de tempo que aumenta a ocorrência de trovoadas e chuvas. Fevereiro, Março e Abril são os meses mais secos.

  • O clima:

As temperaturas médias anuais rondam os 28 graus e, tradicionalmente, as mais altas verificam-se em Fevereiro, Março ou Abril. O frio é praticamente inexistente, bem como a existência de humidade no ar. Predomina o clima quente e tropical.

  • Que roupas levar:

Roupas de linho e algodão protegem melhor o corpo do calor. Um chapéu é útil. Protetor solar, loção pós-solar e água termal não podem faltar.

  • Fuso horário e eletricidade:

No México, são 6 horas a menos do que em Portugal Continental. A corrente elétrica nacional é de 110V/60Hz e é recomendável levar adaptadores de pontas planas, ainda que a maioria dos hotéis e grandes resorts já tenha corrente elétrica de 220V.

  • O imperdível na Riviera Maya:

Durante a estadia nesta região mexicana, saia do hotel e desfrute do que esta melhor lhe oferece. A visita às ruínas Mayas (Chichén-Itzá, Cobá, Tulum e Ek’Balam), a parques temáticos naturais e cenotes sagrados (Xcaret, Xplor, Xel-Ha e Ik’Kil) e às cidades coloniais de Mérida e Valladolid e a super comercial Cancún não podem faltar. Se gosta de mergulho, uma visitinha à Isla Mujeres é indispensável. Mais informações aqui.

  •  O “evitável”

Beber água da torneira;

Ter atenção à qualidade da comida que lhe é servida fora do resort quando a viagem é contratualizada por si;

Ter cuidado com as falsificações Mayas na hora de comprar recuerdos;

  • Os recuerdos que não devem faltar nas malas de viagem

Os tradicionais sombreros de mariachi, que passam no aeroporto sem contar para o total de carga transportada;

Máscaras de madeira pintadas com cores, feitas pelos Mayas;

Artefactos Mayas em pedra;

Mantas coloridas;

Calendários Mayas;

Especiarias e temperos;

Pulseiras, colares, T-shirts e outros;

Muita tequilha e mezcal (licor com lagarto no interior).

Dica: Regatear sempre antes de comprar.

 

  • Alguns pratos e bebidas característicos da Riviera Maya

As tradicionais tortilhas mexicanas, feitas de milho, que prevalece na gastronomia, à frente do feijão, abóbora ou dos chiles;

Enchiladas;

Tacos;

Pescado e marisco variado, capturado na região e a preços módicos;

E muita tequilha.

  • Outras dicas:

Medicamentos: A zona da Riviera Maya poderá ser uma experiência inesquecível, mas que pode trazer algumas complicações se não formos bem preparados em termos medicinais. É essencial levar um paracetamol (para as dores e febras), um ibuprofeno (anti-inflamatório), um anti-histamínico (para as alergias), dimicina (para as diarreias infecciosas), imodium (loperamida, também para as diarreias) e omeprazol (para os estômagos mais frágeis, pouco habituados aos condimentos da região).

Essencial levar um bom repelente, para afastar os mosquitos que teimam em incomodar em determinadas excursões e quando as temperaturas estão altas. Em Tulum, o problema nota-se bastante.

Um adaptador de corrente é fulcral.

Cartões de débito (para levantar pesos mexicanos dos ATM’s) e de crédito, para pagar viagens e excursões também são requeridos. Atenção aos movimentos feitos com o de crédito, porque as taxas são altas.

BOA VIAGEM

Mapa da Riviera Maya | D.R.

Anúncios

About Desporto: viajar

Jornalista de profissão, devorador de viagens por paixão. Sempre que me quiserem encontrar, vou estar por aí.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s