Cidade do Vaticano: uma teocracia encabeçada pelo Papa

Onde estão os melhores museus do mundo, a maior igreja e a mais assombrosa obra de arte jamais criada, por Miguel Ângelo?

Resposta: no Vaticano.

Basílica e praça de São Pedro

Perspectiva do Vaticano, visto desde a cúpula da Basílica de São Pedro

A Cidade do Vaticano é a nação mais pequena do mundo. Na prática, trata-se de uma teocracia encabeçada pelo Papa, actualmente Bento XVI, com uns meros 50 hectares, cerca de 550 habitantes e rodeada pela imponente capital italiana, Roma. Apesar de pequena, o património monumental e artístico do Vaticano é incomparável com qualquer outro. Desta pequena cidade-estado sobressaem a Basílica de São Pedro, em especial a magnifica cúpula, a espantosa Capela Sixtina, os jardins luxuriantes, as salas decoradas com frescos de alguns dos mais importantes artistas de sempre (como Rafael ou Pinturicchio) e cerca de uma dezena de museus. Estes últimos exibem antiguidades clássicas egípcias, gregas, etruscas e romanas, arte paleocristã, que se mistura com a renascentista e moderna, e uma colecção etnográfica de primeira grandeza.

Museus Vaticanos

Por onde começar?

Durante uma visita a Roma, é imprescindível passar pelo Vaticano. Sede do catolicismo, o lugar concilia exuberância e opulência com luxúria e ostentação. E é bom preparar mais de 50 euros se quiser desfrutar, em apenas um dia (como eu), do que esta magnífica cidade-estado oferece. A manhã, essa é dedicada aos museus vaticanos, cuja história, dicas de entrada e outros detalhes contarei nos posts seguintes.

É impossível, por mais fotos que já tenhamos visto, não nos impressionar com a Capela Sixtina (cujo tecto de Miguel Ângelo é uma das obras de arte mais fascinantes de todo o sempre), com as salas dedicadas a Rafael, com os aposentos Bórgia, com a Pinacoteca (onde uma réplica perfeita da Pietà está exposta) e com milhares de obras de arte, que já tínhamos visto aqui e acolá em algum livro, mas que ali estão todas, debaixo do mesmo tecto. Leonardo da Vinci, Caravaggio, Rafael, Bernini, Pinturicchio, quem nunca ouviu falar deles?

Pietà, a falsa

Apoxiomenos

Leopardo, sala das estátuas animais

Galeria das cartas geográficas

Capela Sixtina

Veículos antigos, Vaticano

O almoço pode ser tomado nos jardins do Vaticano e comprado no espaço-comum de refeições criado para acolher visitantes de todo o mundo. E há espaço para receber bem toda a gente: há comida italiana/mediterrânica/ocidental, os fast-foods, a comida oriental (nipónica/chinesa), vegetariana. Enfim, ali só passa fome quem quer.

A tarde é passada em dois locais apenas: na piazza de são Pedro e na magnífica Basílica de São Pedro. O museu histórico-artístico do Tesouro de São Pedro e a subida à cúpula (vá de pé ou de elevador, não interessa a maneira) são outras experiências a não perder. Neste, como noutros casos, as fotos poderão falar bem mais por si. Os próximos oito posts vão passar em detalhe todos estes aspectos que já citei anteriormente, sem esquecer, é claro, todas aquelas dicas para não perder tempo naquela que pode ser uma experiência única nas nossas vidas, pelos bons e maus motivos (a concentração de turistas por metro quadrado é tão elevada no Vaticano que não deve ter comparação com mais nenhum local neste mundo).

Basílica de São Pedro

Cúpula de São Pedro

Anúncios

About Desporto: viajar

Jornalista de profissão, devorador de viagens por paixão. Sempre que me quiserem encontrar, vou estar por aí.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: