Barcelona de Gaudí: Casa Batló, modernismo, ousadia e discórdia

Vista do Passeig de Gracìa

Vista do Passeig de Gracìa

A distância que separa a La Pedrera da Casa Batló, ambas na mesma zona a visitar em Barcelona, não é muita, mas demorou o tempo necessário para chegar encharcado à entrada desta última. Chovia torrencialmente nesse dia e nem pude desfrutar como deve ser do magnífico Passeig de Gracìa. Apesar do estado do tempo, não abrandámos os “trabalhos” e depois de termos visitado a Sagrada Família e a La Pedrera, continuámos a ficar deliciados com o legado de Antonì Gaudí. Ele era, de facto, um mestre.

A Casa Batló foi construída pelo arquitecto entre 1904 e 1906 a mando de Josep Batló, um magnata da indústria têxtil da época. Como em tudo aquilo em que se metia Gaudí, também a Casa Batló acabou por ficar conhecida por todos para a posteridade, sendo actualmente um ícone da arquitectura modernista de Barcelona. A Casa Batló faz parte de um conjunto de edifícios modernistas que partilham entre si a mesma fachada: a conhecida “Manzana de La Discórdia”. A Casa Lleó Morera e a Casa Amatler compõem o resto do conjunto.

O conjunto de edifícios que compõe a Manzana de la Discórdia | D.R.

Fachada da Casa Batló

Fachada da Casa Batló

A fachada da Casa Batló é revestida por paredes pesadas de mosaico e tem varandas curvas em ferro com perfurações a lembrar máscaras, ossos e caveiras. Já o telhado, visto do Passeig de Gracía, arqueado e escamoso, assemelha-se a um dragão.

Casa Batló, esquema | D.R.

Piso térreo | D.R.

A visita à Casa Batló começa, como não poderia deixar de ser, no piso térreo, onde se encontra a bilheteira, um guarda-volumes e também algumas lojas com recordações desta casa, que é, actualmente, também um museu. O acesso ao piso principal faz-se atravessando um vestíbulo, cuja construção se assemelha a uma grande gruta submarina. O destaque recai também sobre a escada que leva até ao piso de cima, que faz lembrar a espinha de um animal.

Piso nobre | D.R.

Com cerca de 700 metros de superfície, é nesse piso que poderemos ver o escritório de Josep Batló e todo um recinto gigantesco virado para a rua, ou seja, para o Passeig de Gracía. Durante a visita, não se pode esquecer de ver ainda o grande salão, que conecta três espaços, e tem grandes janelas que deixam entrar a luz. De particular destaque, são também as portas desta zona da casa Batló, que contêm vidros de cores, bem como seu tecto, totalmente ondulante, a lembrar as ondas do mar. Há ainda ligação directa deste piso a um pátio, que não vi com pormenor dada a chuva que caía.

bruno 349

Antigo escritório de Josep Batló

bruno 350

Portas com vidros de muitas cores

bruno 356

Eu, a ouvir o audioguia junto das janelas da fachada e com vista para o Pg. de Gracìa

O pátio

O pátio

O sótão | D.R.

A visita prossegue depois com a subida até ao sótão, um dos espaços mais singulares e funcionais da casa, dotado em simultâneo de uma estética única. Aqui era a zona de serviços de apoio à casa. O destaque recai sobre uma sucessão de 60 arcos, que fazem lembrar as costelas do ser humano ou de um outro qualquer animal. Talvez, faça mesmo lembrar o dragão que se encontra por cima dessa zona, no terraço. É através do sótão que se acede ao terraço.

Os arcos que demonstram o inusitado do sótão

Os arcos que demonstram o inusitado do sótão

O terraço | D.R.

Infelizmente, não tive também muita oportunidade para o ver, dada a chuva torrencial que caía. Ainda assim, foi possível observar parte do chamado “lombo do dragão”, que caracteriza a fachada da Casa Batló. No terraço, o outro destaque recai também sobre o conjunto de quatro chaminés gaudínianas, concebidas com formas sinuosas, estilizadas e policromáticas.

As chaminés de Gaudí no terraço da Casa Batló

As chaminés de Gaudí no terraço da Casa Batló

Durante a visita à Casa Batló, não deixe ainda de ficar deslumbrado com o magnífico pátio interior, o principal responsável por levar o ar e a luz a todos os cantos da casa. O pátio está revestido de mais de 15 mil azulejos de vários tons de azul, lembrando assim o mar, fonte de inspiração de Gaudí para este trabalho.

bruno 365

Pátio interior I

bruno 366

Pátio interior II

A Casa Batló está aberta ao público desde 2002, coincidindo assim com as comemorações do Ano Internacional Gaudí. Obras importantes de restauração foram levadas a cabo nos anos anteriores. Os trabalhos foram tão minuciosamente executados que a Casa Batló acabou mesmo por ser galardoada com o prémio Europa Nostra, em 2004, pela excelência da conservação deste património arquitectonico. Um ano depois, a Casa Batló foi declarada também Património Mundial pela Unesco. Desde então, tem despertado o interesse crescente de milhões um pouco por todo o mundo. E eu fui apenas mais um dos que se pode gabar de ali já ter estado.

Informações úteis:

  • Localização: Passeig de Gracìa, 43

  • Como chegar: de metro – saída Passeig de Gracìa, L2, 3 e 4; de autocarro, nº 7, 16, 17, 22, 24 e 28;
  • Preço de entrada: 20,35€ (inclui audioguia em português e outras línguas) para pessoas com mais de 18 anos. Para pessoas com mais de 65 anos, o preço desce para 16,30€. Crianças até aos 7 anos não pagam;
  • Horários: Todos os dias das 9h às 21 horas. A última entrada só é admitida até às 20h.
  • Está adaptada para pessoas com mobilidade condicionada, invisuais ou com deficiência auditiva;
  • É permitido fotografar.

Nota: Para ver tudo aquilo que já foi publicado sobre Barcelona clique aqui.

Anúncios

About Desporto: viajar

Jornalista de profissão, devorador de viagens por paixão. Sempre que me quiserem encontrar, vou estar por aí.

2 responses to “Barcelona de Gaudí: Casa Batló, modernismo, ousadia e discórdia”

  1. Luffi says :

    Isso foi muito Gaudi para um dia só?! De todas as obras do mestre esta é das que mais me fascinam não sei porque razão mas sempre que lá passo tenho de parar para admirar aquelas formas que quase já conheço de cor. O te post faz jus a uma obra dificil de entender e acreditem que sem a ajuda do audioguia ou de um bom livro a visita fica mesmo muito incompleta. Devida há chuva perderam a oportunidade de ver os pormenores do terraço e aconselho a irem visitar a casa de noite que é brutal. Parabens pelo post

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: